srtabrahmeira
Eu te conheci em um desses encontros casuais entre amigos para comemorar sei-lá-o-que com muita bebida e música. Você vestia uma camisa branca e jeans, e belos pares de tênis. Bem vestido, bem arrumado e com perfume encantador. Até tentei descobrir o nome através do cheiro no ar que ficou quando passou por mim, mas confesso, me entorpeceu demais para isso. Era um cara comum, em uma noite comum, entre pessoas comuns. Mas tinha alguma coisa que me fazia acreditar: o comum às vezes pode nos surpreender. E nossa! Você me surpreendeu. Fez-me perceber o quanto algo pode fazer bem e ao mesmo tempo ser diferente. No ponto de vista que, não nos conhecemos em momentos clichês ou festas, e sim em um encontro de amigos, já é algo em comum. E pode se dizer, você estava na hora certa, e no lugar certo. Porque quando eu o vi pela primeira vez, desejei por milhares de vezes sentir essa emoção, e até leves borboletas no estômago, aquelas que só de ver o seu sorriso chegam do nada, como se fossem intrometidas. Me fez acelerar o coração e estremecer por dentro. Foi em um desses encontros tão rotineiros, mas confesso que tive vontade de arriscar uma paixão. Poderia ser você, por que não? Nada me impede de tentar. É engraçado a forma como simples coisas mexem com a gente, como simples sorrisos deixam tudo de pernas pro ar de repente. Mas quando te vi, foi como se o mundo parasse e eu só pudesse ver você. Como se fôssemos os donos da noite. E foi ali onde essa paixão tão doce nasceu, no meio da noite, com o motivo de você ser simplesmente tão surpreendente que vale arriscar qualquer moeda. Surgindo assim esse cheiro de amor, dos leves, que acalmam a alma e que fazem um bem danado. Um cheiro doce, de amor gostoso, que te faz querer se entregar de corpo e alma, que vale a pena o risco, que vale a pena sair da mesmice de sempre e entrar em uma aventura de amar.


Eu me sentei sozinha na mesa de um bordel qualquer e esperei, esperei algum estranho sentar-se junto de mim e me oferecer uma bebida, um lanche, qualquer coisa. Eu precisava provar à mim mesma que eu não seria uma solteirona morando num apartamento do tamanho de um banheiro para sempre, que eu teria algo que me motivaria a continuar vivendo. Eu precisava que um estranho me tirasse aquela terrível sensação de que Deus não tinha escrito a minha história, de que Ele me esqueceu, me deixou para segundo plano e acabou desistindo de mim. Eu precisava de alguém, um cara, uma mulher, um senhor, qualquer pessoa que conversasse comigo, perguntasse como estou, qualquer coisa. Eu não podia continuar naquele apartamento sozinha, ninguém iria notar que eu existo ali dentro. Eu saí e as pessoas continuam não me notando. Acho que sou invisível. Milhares de pessoas passam por mim todo dia, nenhuma tenta decifrar meu olhar perdido, minha tristeza. Toda a sensibilidade dos bons tempos foi perdida. Um buraco negro invadiu o coração das pessoas e tomou conta dele, exatamente igual ao que aconteceu com o meu coração. Sinto que ele não bate mais com a mesma força, sei que isso é biologicamente impossível, mas nunca entendi biologia mesmo. Eu não vou dizer que sou uma pessoa agressiva mas às vezes da vontade de espancar uma megera chamada solidão, ela entra devagarzinho e quando se vê, não há mais espaço nem para respirar. Não importa aonde eu vou, não sou notada, não sou motivo de apreciação, não sou bonita por fora e sou estragada por dentro. Pensando bem, mesmo que eu tivesse todas as companhias do mundo acho que ainda me sentiria incompleta. Acho que sou incurável. Cada parte dentro de mim, está presa numa melancolia sem fim, cada parede daquele apartamento também, tudo em volta de mim se torna preto e branco, nada tem mais cor, é como se meu coração tivesse um daltonismo incurável, incapaz de enxergar cor na vida e nas pessoas. E hoje aqui, eu só queria tentar achar um pontinho de cor, ou me iludir com um, achar um motivo, mesmo que de mentira, que me faça ver que a vida é colorida, que me faça ver que o amor existe. Pois já desisti de fazer preces que nunca serão ouvidas.

By: Stéfanny, Beatriz and Eduarda written in imperfeita-s.

Sem dramas, sem posse, fim. O fim veio claramente num dia como qualquer outro. Não poderia prever. Queria ter sentido algo. Queria saber que a gente ia terminar. Poderia ter feito algo diferente, não poderia? Hoje vejo que não. O fim as vezes é inevitável. Nós dois não passávamos de bombas-relógio. Um relacionamento prestes a explodir. Mesmo que a todo momento eu tentasse salvá-lo, nada mudaria isso. Eu era complicada, confusa, alterava o humor constantemente e que estava em conflitos comigo mesma o tempo todo. Você era daqueles dramáticos, inseguros, que arrumava problema com qualquer palavra diferente que eu dizia. Pra falar a verdade, não sei como durou tanto assim. Há tantas perguntas irrespondíveis sobre nós, e eu queria muito que estas tivessem respostas. Eu sempre ouvir dizer que a dor deve ser sentida, só agora percebo o que essa frase significa. Éramos incógnitas e nem ao menos percebemos isso. Nosso destino era incerto e nós sabíamos disso, apenas não admitíamos. As vezes o fim deve ser assim mesmo, sem previsão, sem aviso prévio. Como aqueles band-aids arrancados com força de uma vez só, dói na hora, mas então passa e você supera. E assim que deve ser, doeu, mas vai passar. Eu queria permanecer na dor desse band-aid arrancado, mas não. Fiquei no vazio, nas palavras que deveriam ser ditas e não foram. Na falta do beijo e do carinho. E presente na solidão. Acabou tudo tão incerto, um momento no conto de fadas e num piscar de olhos na beira do abismo. Se não, na queda já. Se soubesse teria evitado tal piscada, talvez as coisas pudessem ainda estar encaixadas.

By: Renata, Eduarda, Isabelle and Ana Beatriz written in imperfeita-s

E eu sempre vou esperar por você. Podem se passar dias, semanas, meses, até anos. Nossos caminhos podem se cruzar e descruzar por muitas outras vezes. Eu posso sentir como se tivesse o perdido pra sempre, e posso sofrer como se meu coração tivesse sendo destruído em incontáveis milhões de pedaços. Mesmo assim eu te esperarei. Farei isso apesar de toda lágrima derramada, da fé parecer completamente perdida, e do chão sumir de debaixo dos meus pés. Eu te esperarei porque eu te amo. Amo forte, intensa e apaixonadamente. Eu sei que as pessoas quando se apaixonam deixam de ser racionais, mas dane-se a lógica. Eu sei que você vale a pena. Sei que nós valemos a pena o suficiente para eu lutar por isso. Afinal, um amor tão grande não pode ser em vão. E a vida gosta de brincar com a gente, uma hora quando se menos espera, as coisas se ajeitam. Porque tudo tem sua hora de acontecer. E se for pra acontecer, irá. E eu sinto que vai. Sinto que chegará o momento, o nosso momento, e então nós sentiremos aquela sensação de “agora vai”. Eu irei te olhar e sorrir, e você vai entender exatamente o que significa aquele sorriso. Você simplesmente entenderá tudo que se esconde por trás dele e você irá sorrir também, e então será a minha vez de te decifrar. Eu sei que no minuto que nossos olhos se cruzarem eu irei esquecer de todas as vezes que chorei por você, meu bem. Eu te amo. Como já foi dito centenas de vezes, mesmo que eu não abra a boca. Esta colado na minha testa, escrito em letras fluorescentes e enfeitado com purpurina. Chega de mentir, eu não sei viver sem teu abraço, mesmo que pra ganha-lo seja necessário um mar de decepções, seja preciso uma coleção de meios sorrisos e meios olhares. Só você é inteiro para mim. Tudo me leva a você, não posso fazer nada. Eu te escolhi, por acaso. E eu amo isso. Completamente do nada, você veio e se tornou tudo, e como poderia eu desistir de ti? Você consegue me entender mais do que eu mesma até, e isso é incrível. Eu poderia ser hipócrita e dizer que estou exagerando, mas não, sei que não estou, apenas tento dizer e explicar o que você é pra mim. Deus foi hiper generoso comigo, me dando você e até mesmo os seus defeitos, relaxa, eu os amo tanto quanto amo suas qualidades e cada dia que passa a vontade de desistir de nós vai se tornando inexistente porque o nosso amor, é simplesmente um dom!

By: Laís, Beatriz and Ana Carolina written in imperfeita-s

Não imaginei que crescer e querer tanto um amor como dos meus pais doeria tanto assim. Sempre admirei o amor deles, como se tratavam e sempre quis amar alguém como eles se amavam. Achava que tudo era lindo e fácil, mas cresci e vi que a vida é tão cruel, a vida me tirou as pessoas que eu mais amava e botou pessoas que se quer gostavam de mim. Além de tudo isso, o tanto amor que eu queria hoje só eu que sinto. Maldito amor não correspondido. Aliás, quem criou essa coisa de “amar e não ser amado” era um baita de um desgraçado. Digo, será que já existem desgraças o suficiente nesse mundo? Será que as guerras e a miséria já não bastam? Amar sem ser correspondido é como uma guerra, e daquelas que não tem como fugir, que se tem que encarar todos os dias. É pior que miséria, atinge a alma, machuca e corrói do pior jeito imaginável. É preciso força. É preciso amar-se antes de tudo. É preciso coragem. Porque essa guerra é difícil de vencer e se entregar não é uma opção. Todos os dias quando acordo, penso em dizer a você o quanto é complicado, e o quanto eu queria ter o seu sorriso dizendo “eu amo você”, ah isso seria bom! Seria muito bom, mas até este exato momento, apenas consigo, olhar você de longe e perceber o quanto, o amor é uma dança sem acompanhante, um todo repleto de vazio, e principalmente o fogo que arde sem se ver. Contudo, posso apenas afirmar que se eu pudesse escolher, eu não escolheria a pessoa que é você pra amar. Mas, todos nós sabemos que amar é não é assim. Amar sem ser correspondido, é o mesmo que uma melodia sem instrumentos. Ah o amor…Que me faz repensar se realmente vale a pena me entregar por um alguém que está tão distante do meu olhar. Um alguém que nem se quer mostra um tiquinho de interesse. Não sei se devo tomar vergonha para falar ou ficar na minha. Nessa angústia que é o amor, eu deveria é me amar em primeiro lugar. Onde eu descobriria um sentimento puro que é só meu, esse sentimento contagiaria e faria com certeza alguém ser contagiado, aí sim surgia o tal do amor onde duas pessoas amam. Seria como se eu precisasse de uma pessoa apenas, a qual eu veria todo dia e não precisaria me martirizar. Alguém que vale a pena, alguém que permanece a essência e que conheço muito bem. Eu, eu mesma e quem sabe um dia alguém.

By: Paloma, Isabelle, Ana Luiza and Ana Beatriz written in imperfeita-s

Eu achei que poderíamos durar quando te encontrei naquele bar fedendo a cerveja e dizendo o quanto eu era linda, a menina mais bonita que você já tinha visto. Você me fez rir a noite toda e conseguiu meu telefone. Achei que você não ligaria no dia seguinte, mas você me surpreendeu. Disse que queria me ver pra saber se a noite passada não tinha sido imaginação sua, eu aceitei e fomos a uma sorveteria. Foi tudo muito rápido, menos de uma semana e eu estava apaixonada por esses seus olhos azuis. Começamos a namorar e você dizia que eu era menina que você queria ter seu primeiro filho. Mas o mundo da voltas e, todo aquele amor, um dia se esgotou. Você disse que não conseguia mais, não sabia o porquê, mas que sempre que me olhava sentia falta da menina que você conheceu. Eu queria gritar, mas só consegui concordar e deixar você ir. Você bateu a porta do meu apartamento me deixando sozinha com minhas músicas tristes. Você esqueceu que a menina que você conhecia sempre esteve ali comigo, dentro do meu coração sempre ia ter a menina que você gostou naquela noite no bar. Esqueceu de tudo o que sentimos não só naquela noite, como até aqui e sem nenhuma explicação. Eu já me perguntei mil vezes aonde foi que eu errei, pois você sabe que nunca tive orgulho quando a questão era você. Eu tentei tudo para poder lhe proporcionar a mesma felicidade que eu sentia, mas por algum motivo você preferiu recusar… Jura que eu quem mudei? Não será você quem não quer mais me ver com os mesmos olhos? Pois eu te garanto que eu continuo sendo a mesma garotinha que você conheceu naquele bar de esquina, eu apenas cresci, igual a você, mas dentro de mim ainda tem aquela menina, assim como, dentro de você ainda tem aquele moleque recendendo a cerveja que me conquistou com cantadas idiotas em apenas uma semana. Eu ainda o vejo dentro de ti, mas agora um pouco mais velho, um pouco mais amadurecido, assim como eu, mas sem mudar nada. E eu te asseguro, sou a mesma de antes, não mudei e não irei mudar, o que falta é somente você enxergar isso, deixar essa teoria imbecil de que eu mudei e voltar para o aconchego dos meus braços, voltar para a sua menina, que sempre esteve aqui por você e sempre irá estar.

By: Mayara, Isadora and Ana Laura written in imperfeita-s

Eu espero não estar cobrando muito de você. Espero mesmo que não esteja te sufocando com minhas palavras assustadoras. Eu sei que as uso demais, mas eu gosto de deixar bem claro tudo que você me causa. Sua vida faz parte da minha agora e isso está bagunçando tudo dentro de mim. Ultimamente, mal posso lembrar de mim sem lembrar de você. É como se fôssemos um só. Meu coração se uniu ao teu, livrando-me de todas as angústias passadas. Você me fez uma nova pessoa, me fez abrir os olhos pra um outro mundo que eu não enxergava. A cada momento ao teu lado eu só consigo pensar que você não é como os outros, pelo contrário, é muito melhor. Você sabe como fazer para que eu dê sorrisos bobos, a segurança que somente o teu abraço me traz, se eu pudesse escolher mais uma vez, eu escolheria novamente você. Não me arrependo de deixar outras pessoas pra viver com você. Você me causa emoções que eu jamais senti um dia, você me faz tão feliz como eu jamais fui um dia. Como eu te disse, é tão bom acordar todos os dias e saber que vai ter alguém pra me fazer feliz mesmo com todos os meus defeitos. Saber que vou ter ao meu lado, todos os dias, uma pessoa que me entende, me apoia, me aceita, me ensina, uma pessoa que me faz bem. Espero fazer tão bem pra você quanto você me faz. Espero ser merecedora de todo esse carinho e cuidado que você tem comigo. Espero que continuemos a ser sempre um a parte que faltava no outro. Nos completamos, você já faz parte de mim, e eu faço parte de você. Que nossa história nunca se acabe, e inspire o amor pelo mundo sempre.

By: Juliana, Ana Carolina, Paloma and Amanda R. written in imperfeita-s

Ele chegou perto, pude sentir pelo cheiro de tabaco, esse cheiro que um dia eu achei tão repugnante, mas que misturado com o perfume amadeirado e másculo dele, fez com que eu achasse agradável, não que eu goste, mas acabei me viciando nesse cheiro. Ele fez com que eu esquecesse de vez todos os contos de fadas, ele é praticamente o lobo mau em forma humana. Não que ele seja mal, ele me faz rir, tem um sorriso que encanta, e um jeito de contar piadas que chega a ser cômico. Eu costumava ser segura de mim perto de qualquer cara, mas a questão é que ele não é qualquer cara, eu acabo sendo uma aprendiz nessa história de se apaixonar. E mesmo ele me fazendo esquecer contos de fadas, nunca senti que eu chegava tão perto de um felizes para sempre. Posso não ser uma Cinderela ou uma Branca de neve, mas tenho lá meus encantos. Ele não precisa necessariamente ser um príncipe, até porque, príncipes não devem cheirar a tabaco. Mas a questão é: Como? Muitos dos caras que eu cheguei a ”paquerar” ou ”gostar”, eram totalmente ao inverso dele, é como comparar Peter Pan com John Travolta estilo Grease, ou até mesmo Elvis Presley, com um cabelo moreno, cigarro na boca e uma camisa de couro. Eu que sempre fui a vilã acabei me tornando refém do olhar dele. Ele é simplesmente encantador com seu jeito sedutor de chamar meu nome. Fico totalmente derretida quando me olha ou vem em minha direção. Com ele, deixei de ser a malvada e acabei cedendo aos mistérios do amor. Logo eu que tinha tanto medo disso acontecer, logo eu que nunca me imaginei nessa forma. Eu me apaixonei porque ele é exatamente igual a mim quando quer iludir alguém. Pensa que me engana, e eu apenas estou gostando de ser enganada porque por ele vale a pena. Eu poderia dizer que somos como “A princesa e o vagabundo” mas não, somos parecidos porém temos a nossa faísca e eu adoro isso. Ele é decidido, determinado, sabe o que quer e ele me quer ou pelo menos aparenta isso. Homem e menino, meigo e arrogante, me conquistou fácil e eu pensando que não me apaixonaria por ele, é, me enganei e como me enganei.

By: Paula, Samara, Juliana and Ana Carolina written in imperfeita-s

Quase uma semana e o que eu mais quero é ver seu rosto novamente. Quero sentir teu abraço, te reencontrar, amor. Ficou o cheiro, a lembrança, mas você foi. Seu abraço aconchegante, seu jeito que fascina, parece um pacote perfeito e mais perfeito ainda é saber que é meu. Os dias ganharam cores e o meu amor, ah, esse tem nome e sobrenome, que é o seu. A distância só deixa meu coração mais perto do seu, meu sorriso ganhou um motivo, é como se esse mundo sombrio ainda existisse uma saída e a saída desse mundo é você. Uma luz que me puxa pro amor, pra você, que é com quem eu mais desejo estar. Conto os minutos, as horas, os dias, e tudo o mais, mas sei que uma hora a gente vai se encontrar, e a partir de então, não nos separaremos mais, esse é o fato que me consola, cada vez que quero te ter do meu lado, e a distância me impede. Me agarro com todas as minhas forças ao fato de que em breve estaremos juntos. Só falar com você por telefone e redes sociais, todos os dias, não está sendo suficiente para suprir a falta que eu sinto de você aqui por perto, me abraçando, me beijando, e fazendo tudo mais que a gente sempre gostou de fazermos um na companhia do outro. Ainda bem que isso não dura para sempre. Porque não acho que aguente sofrer de tanta necessidade de alguém. Você me faz mais bem do que ninguém e só espero que possa estar ao meu lado por muito tempo. Gosto de ver seu sorriso com as pequenas conquistas, seu mimo com seus tênis velhos e seu olhar quando me vê observando sua boca. A semana não poderia ser mais longa, estou a aguardo do fim de semana, do próximo fim de mês, feriado, férias. Só sei que quero passar todos os dias contigo. E cada dia com você tem um gostinho de infinito que eu quero aproveitar ao máximo. Todo o resto perde o sentido, o foco, e minhas atenções são todas destinadas a você. E quando se vai, é como se uma luz se apagasse e eu ficasse em completa escuridão. Por isso que eu conto os dias, as horas, os minutos pra te ter aqui. Não por mais uns dias, ou um fim de semana. Mas pra sempre. Estou no aguardo do momento em que eu não vou ter que me despedir e te ver partir. No aguardo de ver esse teu sorriso todos os dias de manhã. E de finalmente saber, que eu fiz a escolha mais certa de toda minha vida.

By: Ana Beatriz, Amanda R., Renata and Laís written in imperfeita-s

Muitas vezes pensamos que encontrar a devida alegria está em comprar, ou viajar. Obviamente, pra uns pode estar. Mas, a felicidade concreta está em você abraçar o seu destino e fazer o que está realmente dizendo dentro do seu coração. E aprendi isso com os meus escritores favoritos. Dizem que quando algo diz e condiz com uma chance ou “momento único”, é o melhor a se fazer, abraça-lo. Mas, onde está a felicidade? Aonde você acha que não está. Nos momentos únicos, que acontecem e deixam você se sentir assim, leve e feliz, sem motivos. Vai da sua comida favorita ao esbarrão com um estranho na rua que torna seu alicerce. Está presente nas coisas simples, no sorriso de uma criança, num gesto solidário, no dia-a-dia. Hoje a maldade está tão presente na sociedade que deixamos passar despercebidos. Tentamos enxergar maldade até onde não tem. Que mundo é esse que vivemos onde nem podemos usufruir da felicidade? Não podemos nos sentir livres, ser livre. A verdade é que deveríamos ouvir bem mais o coração e menos a razão, deveríamos perceber bem mais a beleza de um parque natural do que na imperfeição do asfalto da avenida mais movimentada. E sim, a maldade está aí, e complica a nossa vida, pois nos atemos demais nela, e pensamos que ela é totalmente o oposto da nossa felicidade, mas ela é apenas um obstáculo, deveríamos pensar assim, ela está no caminho, atrasa, tudo bem, mas não devemos desviar do nosso caminho. Deveríamos viver sem esperar tanto dos outros, nem de nós mesmos. Deveríamos usufruir mais daquela neurose de dizer que quem sabe esse seja nosso último dia, de viver como se não houvesse amanhã; mas devemos ter consciência do amanhã ao mesmo tempo, dos sonhos, dos ideais. Precisamos enxergar a vida com olhos mais amplos em cada detalhe, em detalhes mais simples e mais amplos, em diferenciar sonhos que devemos realizar, e em caprichos que simplesmente nos trariam satisfação momentânea. A verdade é que deveríamos nos conhecer para saber o que realmente queremos. O que realmente nos faz bem, não o que causa uma felicidade momentânea. Eu descobri tudo isso em meus 21 anos, e descobri porque abracei todas as minhas oportunidades, erradas ou certas eu segui e continuo seguindo meu coração. E você encontrou a sua felicidade?